3/12/08

Jazz

      Quando se fala de música, neste caso de Jazz, nunca se consegue dizer tudo o que se quer transmitir. É necessário ouvir para compreender o que todas as palavras que existem nunca vão conseguir descrever. No entanto a história do jazz existe, está registada e é nela que eu me baseei para falar sobre o passado, as origens deste estilo e a sua evolução.

Em 1619 uma quinzena de Negros vindos do Congo foram vendidos como escravos a uns fazendeiros da Virgínia. Como forma de dominar os escravos, além das tradicionalmente violentas, os patrões mandaram construir templos para que os negros tivessem um local onde pudessem prestar culto ao seu Deus. Foi dentro desses templos que eles encontraram liberdade, liberdade essa que foi aproveitada não só para manifestações religiosas, mas também culturais.
Os cânticos que eles entoavam dentro dos templos foram posteriormente denominados por "espirituais negros", cânticos esses que ainda hoje existem. A contrapartida profana desses cânticos são os "blues". Os blues não só deram origem ao jazz, mas também mantêm-se dentro dele na forma de temas, motivos melódicos sobre os quais os músicos jazz improvisam. Foi apenas no início do século XX que o jazz foi reconhecido e ganhou posição no meio musical deixando de ser tão marginalizado como até aí.

Numa dessas manifestações culturais ocorridas dentro dos templos por volta de 1700, um miúdo pegando em dois paus produziu um ritmo tão intenso que todos os escravos que estavam a assistir, sentiram embriagados não conseguindo conter os sentimentos dentro do seu corpo, dançavam para libertar toda essa tensão. Em especial uma miúda, que com o corpo fazia movimentos que haveriam de chocar quem visse, e maravilhar quem sentisse o que todos sentiam. Esse ritmo é o "swing". Todo o ritmo que suporta o jazz é denominado "swing"; pode ser lento ou rápido, mas é sempre muito intenso.
A estrutura do jazz assenta nesses dois elementos: "swing" e "blues". O músico de jazz tem como suporte o "swing" improvisa sobre uma melodia simples, quase sempre triste e muito carregada emocionalmente, os "blues" . Em todos os concertos o músico de jazz não se limita a reproduzir a música executada nos ensaios. Ele improvisa, ali, em palco correndo todos os riscos que daí lhe advêm.
A música sempre fez parte da educação das pessoas, todas ouvem música. Umas gostam mais de um estilo ou de outro, mas todas gostam de música e tudo o que se ouve é música, agora, obviamente há música boa e há música má. Não se trata de uma questão de erudição, trata-se de avaliar a música como um todo, melodia, harmonia, expressão, letra se a tiver. Se uma das partes falhar todo o trabalho por cair na vulgaridade e ser simplesmente ignorado.
Um factor que agora, na nossa sociedade conta é a imagem de quem interpreta e ao que parece por vezes conta mais do que a música. Quando assim é, algo está errado. As produtoras aproveitam-se de uma evidente falta de cultura musical existente no nosso país e produzem música de qualidade duvidável, ou, por vezes nem se duvída da falta da mesma. Depois é só criar uma boa estratégia de publicidade e temos no mercado mais um cantor uma cantora, ou até uma grupo deles que valem pela imagem que apresentam. Felizmente muita gente ouve boa música. Eu digo felizmente porque quem não a ouve não sabe as sensações que ela pode transmitir, os estados de espírito que ela provoca.

O que me preocupa é o facto de actualmente os media disporem de meios para construir ou destruir um artista, em particular um músico. O que nos devia preocupar a todos é que eles efectivamente usam esses meios.

criado por musicasafricanas    0:36 — Arquivado em: Sem categoria

Samba

O samba é uma dança animada com um ritmo forte e característico. Originou da África
e foi levado para a Bahia pelos escravos enviados para trabalhar nas plantações de açucar. A dança gradualmente perdeu sua natureza ritualista e eventualmente se tornou
a dança nacional brasileira. Na época de carnaval no Rio de Janeiro que colocou o samba no mapa ocidental, os baianos das plantações de açucar viajavam das aldeias
até o Rio para as festas anuais. Gradualmente a batida sutil e a nuança interpretativa
do samba levavam-nos rua acima dançando nos cafés e eventualmente até nos salões
de baile, tornou-se a alma dança do Brasil. Originalmente a dança teve movimentos de mão muito carcterístico, derivados de sua função ritualista, quando eram segurados pequenos recipientes de ervas aromáticas em cada uma das mãos e eram aproximadas do nariz do dançarino cuja fragância excitava. Havia muito trabalho de solo e antes de se tornar uma dança de salão, teve passos incorporados do maxixe. Os grandes dançarinos americanos, Irene e Castelo de Vernou, usou o samba nas suas rotinas profissionais, e assim começou a se espalhar. Mas provavelmente foi Carmem Miranda, a brasileira mais conhecida de todos, que com tremenda vitalidade e perícia de atriz, colocou o samba como o mais excitante e contagiante do mundo. No Brasil o desfile das escolas de samba, cresceu e o País desenvolveu seu próprio ballet artístico com ritmo de samba e movimentos básicos

criado por musicasafricanas    0:25 — Arquivado em: Sem categoria

Blues

Nascido nas colheitas de algodão ao longo do delta do Rio Mississipi, nos Estados Unidos, este gênero musical é a expressão melancolia. Não à toa, bebidas e amores desfeitos são temas constantes . Inicialmente, o blues tinha como principal função aliviar o duro trabalho imposto aos escravos.
Os primeiros relatos em termo de "blues" aparece datam de 1862. A origem do termo é incerta, mas seu significado mais próximos é sem dúvida o equivalente ao que conhecemos como "fossa". Ele podia ser ouvido tanto nas plantações quanto nas senzalas. Vem Daí algumas de suas características marcantes, como o canto rude e melancólico. Diferentemente do jazz, que sofreu influências da música européia, o blues soube se manter "cru" ao longo dos anos. O nascimento do blues deve-se a uma série de fatores culturais e sociais. Com um fim de guerra civil americana e conseqüente liberação dos escravos, os negros se dispersaram e em alguns casos se tornaram agricultores de suas próprias terras . O que antes era entoado em coro como "worksongs"(canções de trabalho) deu lugar a um cultivador solitário, guiando sua mula ou puxando seu arado e improvisando cantos.Mas nem todos se tornaram agricultores. Muitos migraram para a cidade e levaram para lá esta forma de canto que se desenvolveu nos campos. O aparecimento deste novo proletáriado teve como consequência direta a grande procura por divertimentos: lojas de bebidas sala de jogos, casa de prostituição - locais onde a música dava a tônica . Foi por esta época que começou a surgir a figura do "songster" ou o cantador. Não raramente cego ou aleijado , ele passava de vila em vila cantando seus problemas com a lei, a falta de emprego ou lamentando a mulher que o deixara. Misto de vagabundo com artista, ele costumava trocar suas histórias por comida,um lugar para dormir ou uma garrafa de uísque. O cantor tocava também um instrumento para marcar o ritmo e fazer dançar .Este instrumento , porém tinha de ser do tipo que ele pudesse carregar em suas peregrinações. Inicialmente a preferência era banjo e violino. Gradualmente, estes instrumentos foram substituídos por uma guitarra leve, prática e barata, muito mais completa que o viloino e muito mais prática que o banjo.
Enquanto o negro americano tentava se adaptar a condição de liberto, ele sofria com a forte segregacão racial cada vez mais evidente. Um de seu consolos se tornou o pastor negro que adaptava as lições da bíblia a uma visão muito pessoal e voltada para a sua comunidade. Na igreja os negros tentavam transcender a dura realidade e entoavam cânticos que muito lembravam as worksongs.E foi assim que em algum lugar do século 20 do fazendeiro solitário entoando suas canções, do cantor itinerante disseminado suas baladas e do pregador inflamando seus fiéis com cânticos surgiu o blues.
O Blues tem e já teve grandes mestres como B.B. King, Albert King, Stevie Ray Vaughan, Jimi Hendrix, Chuck Berry, etc. É impossível mencionar todos mas existem vários.
Bluesmen que participaram da história do blues desde suas origens;
Big Bill Broonzy (1893-1958) - Um dos primeiros artistas do blues clássico, foi o bluesman de maior sucesso nos anos 30.
Sonny Boy Williamson (1899-1965) - Adotou o nome com a morte do primeiro Sonny Boy, e só emplacou por conta de seu talento na harmônica.
Willie Dixon - Compositor cantor, baixista e guitarrista, foi talvez a figura mais importante na chamada era clássica do blues urbano de Chicago.
Otis Spann (1930-70) - Pianista que, juntamente com Waters e LittleWalter, foi um dos criadores do blues de Chicago do pós-guerra.
Muddy Waters (1915-83) - O maior artista do gênero entre a era clássica de Robert Johnson e a de B.B. King. Mestre da slide guitar, manteve a crueza do blues rural mesmo quando adotou a guitarra elétrica.
Memphis Slim - Pianista que migrou do estilo R&B para o folk-blues, com muito sucesso.
Lowell Fulson - Figura de ligação entre o blues clássico e o R&B, guitarrista que alia tradição a novos estilos.
John Lee Hooker - Um dos grandes intérpretes da onda revivalista dos anos 60,este guitarrista faz um blues bem tradicional com sua interpretação econômica e irônica.
Howlin’ Wolf (1910-76) - O principal rival de Waters nos anos 50, seu jeito de gritar os blues fez escola e tornava sua performances inesquecíveis.
Buddy Guy - Showman da guitarra revitalizou o gênero nos anos 60.
Bo Diddley - Precursor da batida do rock, esse guitarrista faz um rhythm’n'blues cheio de suingue e animação.
Bessie Smith (1894-1937) - A maior de todas as cantoras de blues, chamada a "Imperatriz do Blues", por suas interpretações sinceras e cheias de emoção.

criado por musicasafricanas    0:04 — Arquivado em: Sem categoria

2/12/08

Reggae

O reggae é um gênero musical que tem suas origens na Jamaica. O auge do reggae ocorreu na década de 1970, quando este gênero espalhou-se pelo mundo. É uma mistura de vários estilos e gêneros musicais: música folclórica da Jamaica, ritmos africanos, ska e calipso. Apresenta um ritmo dançante e suave, porém com uma batida bem característica. A guitarra, o contrabaixo e a bateria são os instrumentos musicais mais utilizados.

As letras das músicas de reggae falam de questões sociais, principalmente dos jamaicanos, além de destacar assuntos religiosos e problemas típicos de países pobres.

       O reggae recebeu, em suas origens, uma forte influência do movimento rastafari, que defende a idéia de que os afrodescendentes devem ascender e superar sua situação através do engajamento político e espiritual.
      Na década de 1950, começam surgir os grandes nomes do reggae como, por exemplo, Delroy Wilson, Bob Andy, Burning Espear e Johnny Osbourne, e as bandas The Wailers, Ethiopians, Desmond Dekker e Skatalites. Nesta época, grande parte das rádios da Jamaica, de propriedade de brancos, se recusavam a tocar reggae. Somente a partir da década de 1970, o reggae toma corpo com cantores que ganham o mundo da música. Jimmy Cliff e Bob Marley tornam o reggae um estilo musical de sucesso no mundo todo. Em 1971, a música I Can See Clear Now de Johnny Nash, assume o topo na parada musical de várias rádios na Inglaterra e Estados Unidos.
     Os anos 70 (década de 1970) foi a época dos grandes sucesso do reggae. Várias músicas marcaram época e alcançaram o topo na lista de sucesso das rádios: I Shot the Sheriff (versão de Eric Clapton ), Peter Tosh com Legalize It e No Woman , No Cry de Bob Marley.
     Vários cantores e bandas passam a incorporar o estilo reggae a partir dos anos 80 (década de 1980). Eric Clapton, Rolling Stones e Paul Simon fazem músicas, utilizando a batida e a sonoridade dançante e suave. Atualmente, vários cantores e bandas fazem sucesso nesse gênero musical : Ziggy Marley, Beres Hammond, Pulse, UB 40 e Big Mountain.

Reggae no Brasil

Foi na região norte do Brasil que o reggae entrou com mais força. No estado do Maranhão, principalmente na capital São Luís, é comum a organização de festas ao som de reggae. Na década de 1970, músicos como Gilberto Gil e Jorge Ben Jor são influenciados pelo estilo musical jamaicano. Na década de 1980, é a vez do rock se unir ao gênero da Jamaica, nas letras do grupo Paralamas do Sucesso.
Na década de 1990, surgem vários músicos e bandas. Podemos citar como exemplo : Cidade Negra, Alma D’Jem, Tribo de Jah, Nativus e Sine Calmon & Morro Fumegante.

criado por musicasafricanas    23:57 — Arquivado em: Sem categoria
Report abuse Close
Am I a spambot? yes definately
http://musicasafricanas.blog.terra.com.br
 
 
 
Thank you Close

Sua denúncia foi enviada.

Em breve estaremos processando seu chamado para tomar as providências necessárias. Esperamos que continue aproveitando o servio e siga participando do Terra Blog.